Ombro e Cotovelo

A equipe de Ortopedia da Rede Mater Dei de Saúde conta com um Grupo de Cirurgia de Ombro e Cotovelo, composto por 6 especialistas, aptos a diagnosticar e tratar todas as patologias desta articulação.

Conheça um pouco mais sobre as principais lesões que afetam o ombro.

Bursite e Tendinite Calcária

O que é?

Grande parte da população associa qualquer dor no ombro com a Bursite. Entretanto a Bursite é consequência de alguma outra lesão, como, por exemplo, a Tendinite Calcária ou mesmo uma ruptura de tendões.

Bursite: é a inflamação da bursa ou bolsa sinovial, uma estrutura cheia de líquido que age como amortecedor de atrito entre músculos, tendões e ossos ao redor das articulações. Em geral a bursite compromete o modo correto de lubrificação ao engrossar e acumular o líquido, o que torna ações cotidianas doloridas.

Tendinite Calcária: é a inflamação do tendão, uma estrutura fibrosa, assim como uma corda, que une o músculo ao osso. É uma forma de tendinite, caracterizada por depósitos de cristais de hidroxiapatita em qualquer tendão do corpo, causando dor local, que pode piorar com o movimento e até mesmo irradiar para toda musculatura ao redor. No ombro essa calcificação ocorre mais no tendão do supra-espinal, seguido do tendão do infraespinal, facilmente visualizada através de radiografias.

Causas

Ambas as doenças podem ser provocadas por sobrecarga, traumas ou excesso de movimentos no ombro, causando fortes dores na área afetada.

Sintomas

Dor local, que piora ao elevar o braço acima do nível do ombro ou ao deitar sobre a articulação são sintomas das doenças. Em alguns casos ocorre o enrijecimento  ou o encolhimento  da articulação acometida, com piora do quadro.

Tratamento

O tratamento conservador é o mais indicado para tendinites e bursites. O repouso da área afetada na fase aguda, o uso de gelo e medicamentos analgésicos potentes e anti-inflamatórios e até mesmo a fisioterapia, indicados pelo ortopedista auxiliam para melhora do quadro. As infiltrações no ombro (injeções com anestésico local e corticoide) também podem ser utilizadas.

Tendinite por esforço físico

O que é?

Comum em pessoas que fazem excesso de repetições de um mesmo movimento, ou abusam da sobrecarga no ombro, a tendinite por esforço físico causa uma inflamação do tendão, uma estrutura fibrosa, assim como uma corda, que une o músculo ao osso.

A lesão pode afetar pessoas de qualquer idade, mas é mais comum entre os adultos que praticam esportes sem supervisão adequada. Esse tipo de lesão tem sido muito comum em atletas de cross fit e por aqueles que fazem academia sem supervisão e abusam dos pesos.  Idosos também são suscetíveis a tendinite porque seus tendões perdem a elasticidade com o tempo e tornam-se mais fracos.

Sintomas

Os sintomas são percebidos  na região do ombro e particularmente na face lateral do braço, com piora com os movimentos e ao deitar-se sobre o lado afetado,  e também uma sensação de que o tendão está crepitando quando se move.

Tratamento

O tratamento conservador é sempre o mais indicado inicialmente, seguindo os mesmos princípios do tratamento das tendinites em geral.

Ruptura do manguito rotador (tendão)

O que é?

O manguito rotador possui quatro tendões que envolvem a cabeça do úmero. Cada um exerce sua função no ombro para mantê-la em posição e permitir a movimentação livre dos braços numa enorme amplitude. A ruptura do manguito pode ser  parcial ou completa, uma vez que pode acometer apenas uma parte do tendão, todo o tendão e mais de 1 tendão. A lesão pode acontecer durante atividades diárias e também após quedas. A ressonância magnética é o exame de eleição para identificação dessas lesões.

 Causas

A lesão é mais comum em pessoas que repetidamente executam movimentos de elevação e/ou rotação dos braços. Além disso, o risco de lesão do manguito rotador também aumenta com a idade, uma vez que os fatores biológicos fragilizam esses tendões. Quedas, traumas,  e luxações no ombro também causam esse tipo de lesão.

Sintomas

A ruptura do manguito causa dor, que se irradia para o braço, fraqueza e limitação nos movimentos do ombro. A dor pode piorar ao dormir.

Tratamento

Apesar das lesões dos tendões não cicatrizarem sozinhas, existem dois tipos de tratamentos: conservador e cirúrgico.  O ortopedista, especialista em ombro, avaliará  a gravidade da lesão, as atividades e a idade do paciente para indicar o tratamento mais adequado.

O tratamento conservador inclui repouso, medicação, fisioterapia e injeções de corticosteroides( em algumas situações).

Já o tratamento cirúrgico pode ser feito por meio de cirurgia aberta ou por artroscopia (tecninca mais avançada e menos invasiva) no qual o paciente se recupera melhor e com resultados melhores,  menor chance de infecção e menos dor.

Artrose

O que é?

A artrose é um fenômeno natural do corpo humano, no qual ocorre o desgaste da cartilagem que reveste nossas articulações ou juntas, devido ao envelhecimento biológico. Já em pacientes jovens, ela pode se manifestar após o  uso prolongado de corticoides, em pacientes com doenças degenerativas ou após fraturas graves que acometem as articulações.

Sintomas

A dor articular, dificuldade em realizar movimentos, inchaço e rigidez nas articulações são os sintomas clássicos da artrose. Também é comum que o paciente sinta queimação na região afetada e perceba rangidos durante a movimentação da área.

Tratamento

Mesmo tendo em mãos   um exame radiográfico bem feito, na maioria das vezes lançamos mão de uma tomografia computadorizada e\ou ressonância magnética para um melhor entendimento e adequada classificação da lesão.

O tratamento conservador é o mais indicado para pacientes jovens e mesmo nos mais idosos como abordagem inicial. O uso de medicamentos analgésicos potentes e anti-inflamatórios, fisioterapia e hidroterapia para manter a amplitude de movimentos e fortalecer a musculatura, auxiliam para melhora do quadro.

Já o tratamento cirúrgico é indicado para pessoas mais velhas e após tentar resolver o quadro com tratamento conservador. Isso porque durante a cirurgia é feita a artroplastia (no qual é colocada uma prótese na articulação acometida) e essas próteses tem vida útil, por isso não devem ser indicadas nos  jovens.

Fratura do ombro

O que é?

A  fratura do úmero proximal, é  a terceira fratura mais comum.  Podem acometer diferentes partes do osso e  ser ou não desviadas. A gravidade é definida pelos  desvios e número de partes. A lesão pode acometer também a  luxação da cabeça do úmero.

Causas

Em pacientes mais jovens  as fraturas de ombro são causadas por conta de quedas e acidentes de carro, moto e bicicleta. Já nos pacientes acima de 60 anos elas são causadas por conta de traumas e quedas mais triviais  em detrimento da fraqueza óssea, como a osteoporose.

Sintomas

A fratura do ombro causa hematoma no braço e no toráx do lado do braço ferido, dor local importante e dificuldade na movimentação do braço.

Tratamento

Cerca de 80% dos casos são tratados de forma conservadora, por meio de imobilização com tipoia por 4-6 semanas, seguida de fisioterapia. Já os outros  20% dos casos é indicado cirurgia  com colocação de placa e parafusos ou hastes para estabilizar a fratura. Proteses também podem ser indicadas para pacientes com idade avançada. Nestes casos um implante metálico  substituirá a cabeça do úmero.

Luxação recorrente do ombro

O que é?

Ao contrário da fratura e da contusão, na luxação o osso sai do lugar, causando deformidade da articulação e causando fortes dores. A luxação separa um osso do outro na articulação. Classificamos como recorrente (ou recidivante) um paciente que possui episódios frequentes de luxação em uma mesma articulação.

Causas

A luxação recidivante é mais comum em pacientes abaixo de 30 anos. O primeiro episódio acontece após um trauma que lesa as estruturas que mantém o ombro no lugar. Já os episódios subsequentes são fruto da articulação mais “frouxa”( ligamentos rompidos)  do paciente, que permite que o ombro saia do lugar mesmo que sem nenhum trauma. Um exame de artro-ressonância  magnética deve ser solicitado para uma melhor avaliação do problema.

Sintomas

A dor súbita e intensa, que se agrava durante a tentativa de movimentar o ombro são os principiais sintomas. Ele só melhora quando o ortopedista coloca “o ombro no lugar” novamente, muitas vezes sob anestesia.

Tratamento

Na primeira luxação o paciente deve procurar um ortopedista em um Pronto Atendimento, uma vez que ombro tem que ser colocado no lugar o mais rapidamente possível, para evitar a lesão definitiva da cartilagem. Por meio de  manobras específicas, o ortopedista  fará a redução, trazendo conforto e alívio imediato ao paciente.  O uso da tipoia deve ser recomendado.

Após diagnosticar que o paciente apresenta ligamentos rompidos, o tratamento definitivo é feito por meio de cirurgia aberta ou por artroscopia para reparar as estruturas lesadas.

Capsulite adesiva ou Ombro Congelado

O que é?

O ombro congelado é uma doença que causa inflamação na cápsula articular do ombro, gerando dor seguida de enrijecimentos dos movimentos do ombro. Ela começa  com uma inflamação na cápsula articular, que é o tecido que reveste toda a articulação.A patologia é mais frequente em  pacientes com doenças hormonais, como o diabetes e as doenças da tireoide, ou naqueles em uso de medicação anticonvulsivante.

Causas

Ainda não se sabe como o ombro congelado é originado. Entretanto, a doença está relacionada à fatores genéticos e à reações auto-imunes.

Sintomas

O ombro congelado causa muita dor ao paciente e torna atividades simples e diárias, como, por exemplo, vestir roupa, amarrar o sapato, limitantes. Durante o processo inflamatório, os pacientes tem dificuldade de  dormir sobre o ombro afetado.

Tratamento

A capsulite é considerada uma doença auto-limitada, ou seja, que será curada com o tempo. Entretanto o acompanhamento de um ortopedista, especialista em ombro, é fundamental para que o paciente tenha direcionamentos corretos sobre os exercícios de fisioterapia e medicações que aliviarão os sintomas, uma vez que a cura pode levar entre 2 ou 3 anos e a dor e as limitações podem ser significativas nesse período.

Especialistas

Dr. Marco Antônio de Castro Veado

Especialidade(s): Ombro e Cotovelo

CRMMG: 10122 TEOT: 1872

Rua Rio Grande do Norte 726-15º andar
31 3261-5700 e 3261-5157

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais, o médico realizou sua residência em Ortopedia e Traumatologia no Hospital Felício Rocho e especialização em Cirurgia do Ombro no Columbia Presbiterian de Nova York – EUA. O médico é professor emérito da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais e já foi presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo, em 2006, e presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia de MG, em 2009/2010. O ortopedista é membro do corpo editorial da Revista Brasileira de Ortopedia e editor da Revista Mineira de Ortopedia.

Dr. Arildo Eustáquio Paim

Especialidade(s): Ombro e Cotovelo

CRMMG: 8683 TEOT: 1695

Rua dos Otoni n°909- sala 1601
31 3273-0624

Graduado em medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, o médico fez residência em Ortopedia e Traumatologia na Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte e diversos estágios nos Estados Unidos. Entre eles com Craig D. Morgan, MD. Wilmington, Delaware; com Stephen J. Snyder, MD. Southen California Institute Van Nuys, California;  com Dr Stephen S. Burkhart, MD. San Antonio, Texas; na Clinic Kerllan Jobe,  em Los Angeles; com Dr Stephen S. Burkhart, MD. San Antonio, Texas; e com Dr.  Evan L Flatow, MD. Mont Sinaí Hospital New York. O médico também realizou por duas vezes o “Curso prático de laboratório de cadáver para treinamento em artroscopia de ombro” em Miami e em Los Angeles e o esteve na Inglaterra para a realização do curso de “Artroplastia de Ombro da JRI-Cadaver Lab- Keele”. Dr. Arildo já foi Presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro  e Cotovelo. O ortopedista é membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, da Sociedade Latino-Americana de Ortopedia e Traumatologia, da Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos e da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo. Professor     Auxiliar     da  cadeira de  Ortopedia  do  Curso  Médico da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, em 2017 recebeu o título de  Professor Emérito na instituição.

Dr. Alessandro Paim

Especialidade(s): Ombro e Cotovelo

CRMMG: 26593 TEOT: 6961

Rua Grão Para n°648 - Santa Efigênia / Ortocenter
31 3241-1147

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais, o médico realizou sua residência em Ortopedia e Traumatologia e subespecialização em Cirurgia do Ombro e Cotovelo na Santa Casa de Belo Horizonte. O ortopedista, especialista em cirurgias de Ombro/Cotovelo e Artroscopia, é membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.

Dr. Alessandro Ulhoa

Especialidade(s): Ombro e Cotovelo

CRMMG: 32352 TEOT: 7945

Av. Barbacena 1018 - sala 806 - Santo Agostinho
31 2555-1862

Graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora, o médico realizou sua residência em Ortopedia e Traumatologia pelo Hospital Mater Dei e especialização em Cirurgia do Ombro e Cotovelo na Santa Casa de Belo Horizonte e fez estágio no Departamento de Cirurgia do Ombro e Cotovelo da Mayo Clinic – MN/EUA.  O ortopedista é membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo.

Dr. José Carlos Souza Vilela

Especialidade(s): Ombro e Cotovelo

CRMMG: 32.457 TEOT: 8880

Rua Grão Para n°648 - 2º andar - Santa Efigênia
31 3344-2777

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais, o médico fez residência em Ortopedia e Traumatologia no Hospital das Clínicas da UFMG e fellow em Cirurgia do Ombro no Hospital de L’Archet, Nice – França. Com mestrado em Cirurgia pela UFMG e doutorado em andamento na UFMG, o ortopedista é membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo e da Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos.

Dr. João Garcia de Azevedo Neto

Especialidade(s): Ombro e Cotovelo

CRMMG: 43813 TEOT: 11966

Av Barbacena 1018/ 201- Santo Agostinho
31 3292 7798/ 3292 4077

Graduado pela Faculdade de Medicina de Barbacena, o médico fez residência médica e especialização em Cirurgia do Ombro e Cotovelo no Serviço de Ortopedia e Traumatologia da Santa Casa de Belo Horizonte e pós-graduação em Medicina do Exercício do Esporte pela Universidade Veiga de Almeida (RJ). É também A O Principles of Fracture Treatment Course e membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Ombro e Cotovelo.

Solicite sua Consulta

Após recebermos seus dados, entraremos em contato para confirmar.
Se preferir, ligue: 31 3339-9636 ou via Whatsapp 31 99845-9711