Doenças Osteometabólicas

Crédito da Foto:  Leo Lara

Osteoporose

O que é?

Muito se fala sobre osteoporose, mas você sabe o que significa? Sendo uma das principais doenças osteometabólicas (doenças ósseas), a osteoporose está fortemente relacionada com o progredir da idade. A doença causa o enfraquecimento da estrutura óssea, levando à degeneração e a perda gradual da densidade do osso. Estima-se que ela atinja quatro vezes mais as mulheres do que os homens. Isso porque na menopausa, há uma drástica diminuição dos níveis de estrogênio, hormônio responsável por retardar a reabsorção óssea e fixar o cálcio no osso. Dessa maneira, o sistema esquelético fica mais vulnerável. Além disso, as mulheres possuem ossos mais finos e fracos do que os homens. As mulheres na pré menopausa, na menopausa e os homens na andropausa devem procurar um ortopedista para uma avaliação e o tratamento adequado.

Causas

A doença está intimamente ligada à perda de massa óssea (diminuição do cálcio / vitamina D) no organismo.

Sintomas

Com poucos sintomas, os pacientes costumam descobrir a doença após a ocorrência de alguma fratura, por vezes espontânea, em um momento em que ela já se encontra em estágios avançados. Por isso a importância do exame de imagem chamado densitometria, exames de sangue e urina ao se suspeitar de Osteoporose.  A doença normalmente atinge a coluna, bacia, fêmur, radio distal e úmero proximal mas, pode estar presente em todos os ossos.

Tratamento

Ainda não existe uma cura definitiva para a osteoporose, mas os tratamentos existentes são eficientes no retardamento de sua progressão e no controle das dores. Dentre os medicamentos indicados, o cálcio, a vitamina D e outras substâncias específicas, aliado a uma dieta saudável, exercício físicos com orientação e banhos de sol ajudam a prevenir a perda óssea e fortalecer os ossos já fracos. Uma dica é tomar cerca de 15 minutos de sol diariamente antes das 10h ou após às 16h, já que a radiação solar ativa a Vitamina D presente na pele, vitamina essa importantíssima na absorção de cálcio pelo organismo. Reforçamos que tanto o Cálcio, quanto a Vitamina D não devem ser ingeridos sem indicação médica.

 

Confiram algumas dúvidas frequentes sobre a doença.

 A Osteoporose é uma doença hereditária?

Sim. A Osteoporose é uma doença hereditária, por isso é fundamental que quando um membro da família tiver histórico da doença, é possível que os demais familiares também a tenham.

Porque a atividade física auxilia no tratamento da Osteoporose?

A atividade física, com supervisão, auxilia no tratamento uma vez que ela provoca a contração muscular que gera ação mecânica no osso favorecendo a sua formação. A caminhada por 30 a 60 minutos por dia é um excelente exercício físico. Nunca pratique exercícios físicos sem orientação, pois eles podem ocasionar lesões e fraturas.

Todas as mulheres terão osteoporose?

Não. Nem todas as mulheres desenvolverão a Osteoporose. De acordo com dados do IOF (Fundação Internacional de Osteoporose), a doença afeta uma em cada três mulheres com mais de 50 anos em todo o mundo. A reposição hormonal, aliada a não heredietariedade da doença e a prática de atividade física auxiliam as mulheres a não desenvolverem a doença.

O que é Capital Ósseo?

O capital ósseo (“poupança”) é uma medida profilática para produzir uma reserva de massa óssea no organismo. A reserva deve ser iniciada na infância e atinge o pico por volta dos 35 anos e é feita por meio de uma boa alimentação, rica em cálcio e vitaminas e atividade física.

Raquitismo

O que é?

O Raquitismo é tradicionalmente uma doença infantil que causam o amolecimento e enfraquecimento dos ossos em crianças. No adulto denomina-se Osteomalácia

Causas

Geralmente a doença é causada devido a deficiência de vitamina D e Cálcio, resultando na dificuldade em manter níveis adequados de cálcio e de fósforo nos ossos. Hoje, entretanto, as principais causas incluem a absorção inadequada de cálcio e vitamina D causada por alterações gástricas, biliares ou entéricas.

Sintomas

O retardo de crescimento, pernas arqueadas, fraqueza e dor na coluna, na pélvis e nas pernas são os principais sintomas da doença. A avaliação radiológica pode identificar os sinais típicos da doença.

Tratamento

O tratamento do Raquitismo e deve ser feito pela suplementação de Vitamina D e/ou Cálcio na dieta, outros medicamentos e correção das alterações gastrintestinais. Eventualmente cirurgias ortopédicas podem ser necessárias para corrigir deformidades angulares, principalmente nos membros inferiores.

Doença óssea de Paget

O que é?

Também chamada Osteíte Deformante de causa desconhecida é um distúrbio crônico do esqueleto adulto. Assim o osso fica mais espesso e ao mesmo tempo mais fraco do que o comum. A pelve, o osso da coxa (fêmur), o crânio, a canela (tíbia), a coluna (vértebras), a clavícula e osso do braço (úmero) são os locais normalmente mais afetados.

A doença, apesar de rara, atinge com mais frequência pessoas acima de 40 anos e é mais comum na Inglaterra, Europa (excluindo a Escandinávia), Austrália e Nova Zelândia.

Causas

Apesar de não ter causa conhecida, a doença é comum em famílias que possivelmente são portadoras de defeitos genéticos, mas isto não está completamente esclarecido.

Sintomas

Apesar de muitas pessoas não apresentarem sintomas, a doença pode causar dor e deformidade óssea, artrite e compressão nervosa dolorosa. No caso do crânio, além de estar aumentado, ele pode provocar um aspecto proeminente das sobrancelhas da testa e, causar dores de cabeça. O crescimento dos ossos do crânio também pode prejudicar o ouvido interno e, consequentemente, causar perda auditiva e tonteira. O diagnóstico inclui avaliação radiológica, exames de sangue dirigidos para o metabolismo ósseo, principalmente a dosagem da fosfatase alcalina.

Tratamento

O tratamento é específico com Bisfosfonatos, correção cirúrgica de deformidades e eventualmente descompressão de raízes nervosas.

 

 

 

Especialistas

Dr. Marcio José Rodrigues

Especialidade(s): Doenças Osteometabólicas

CRMMG: 7.058 TEOT:

Rua Ouro Preto 1016
31 36583847

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais, o médico realizou sua residência em Ortopedia e Traumatologia no Hospital das Clínicas da UFMG e Hospital da Baleia. Com mais de 30 anos de atuação na área Ortopédica, com foco em doenças Ósteometabólicas, Dr. Marcio José é um dos médicos preceptores da Residência de Ortopedia e Traumatologia da Rede Mater Dei de Saúde.

Solicite sua Consulta

Após recebermos seus dados, entraremos em contato para confirmar.
Se preferir, ligue: 31 3339-9636 ou via Whatsapp 31 99845-9711