Síndrome do Piriforme

O Piriforme é um músculo que se localiza na região posterior do quadril e é responsável pelos movimentos de rotação de abertura do quadril. Esse músculo se encontra muito próximo do nervo ciático e alguns fatores podem provocar a sua compressão, ocasionando dor intensa no glúteo e prejudicando a qualidade de vida.

 

Ao longo do texto, abordaremos a Síndrome do Piriforme, suas principais causas, sintomas e tratamento.

O que é a Síndrome do Piriforme e quais as suas causas?

 

A Síndrome do Piriforme, também chamada de Dor Glútea Profunda, é caracterizada por uma dor acentuada na nádega, causada por uma compressão do nervo ciático pelo músculo piriforme. Na maioria das vezes, a Síndrome está associada a dois fatores:

 

Anatômicos: quando o nervo ciático se encontra entre as fibras do músculo Piriforme, separando-o em duas partes e provocando uma tensão excessiva que o inflama.

 

Funcionais: quando há compressão do nervo ciático pelo músculo Piriforme em casos de hipertrofia de atletas que sobrecarregam a musculatura do quadril ao passar longos períodos sentados ou devido a impactos repetidos no local durante a prática esportiva (como no mountain bike, por exemplo), entre outros.

Principais sintomas:

 

A condição atinge majoritariamente homens e seus principais sintomas incluem:

 

– Dor profunda na nádega, podendo irradiar para a lateral e posterior da coxa.

– Piora da dor ao sentar-se, cruzar as pernas, caminhar ou correr.

– Mancar ao realizar uma caminhada.

– Sensação de formigamento ou queimação no glúteo e na coxa.

 

Como diagnosticar e tratar a Síndrome do Piriforme?

 

A Síndrome do Piriforme é difícil de ser diagnosticada, sendo um desafio para os Ortopedistas. De modo geral, a condição é detectada através de exame clínico, onde o médico realiza diferentes testes de movimento de quadril e palpação no local.

 

Exames de imagem complementares, como raio-X e tomografia computadorizada, também podem ser necessários para descartar outras doenças que apresentam sintomas semelhantes.

 

Na maioria dos casos, o tratamento é conservador e visa aliviar os sintomas, utilizando-se inicialmente de anti-inflamatórios, analgésicos, relaxantes musculares e Fisioterapia.

 

A Fisioterapia possui um importante papel no tratamento da Síndrome, uma vez que promove o alongamento e relaxamento do músculo, além de fortalecer a região a fim de amenizar a dor.

 

O tratamento cirúrgico raramente é necessário nos casos de Síndrome do Piriforme.

 

Dicas importantes para prevenir a Síndrome do Piriforme:

 

– Realize exercícios de alongamento dos músculos de rotadores do quadril.

– Evite excesso de exercícios para o glúteo.

– Fortaleça a musculatura do quadril.

– Mantenha uma rotina saudável e controle o peso corporal.

– Ao apresentar dores na região, procure um Ortopedista. Muitas vezes, o diagnóstico precoce garante um tratamento mais simples e rápido.

 

Não conviva com a dor! Entre em contato com um de nossos Ortopedistas especialistas e conquiste de volta sua qualidade de vida.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×