O que é a Osteomielite?

Assim como a pele e outras partes do corpo, os ossos também podem ser afetados por fungos e bactérias. Quando isso ocorre, tem-se o que chamamos de Osteomielite. Essa é uma condição que, caso não seja devidamente tratada, pode gerar complicações sérias e até amputação do membro.

 

Neste texto, você conhecerá um pouco mais sobre a

Assim como a pele e outras partes do corpo, os ossos também podem ser afetados por fungos e bactérias. Quando isso ocorre, tem-se o que chamamos de Osteomielite. Essa é uma condição que, caso não seja devidamente tratada, pode gerar complicações sérias e até amputação do membro.

 

Neste texto, você conhecerá um pouco mais sobre a Osteomielite, seus sintomas, diagnóstico e tratamentos. Boa Leitura!

 

Como surge a Osteomielite?

 

A Osteomielite se refere a uma infecção óssea desencadeada por fungos ou bactérias que podem afetar uma parte do corpo e se espalhar através da corrente sanguínea, atingindo o osso. Outra forma de contaminação é através da exposição do osso, como quando acontece um acidente com fratura exposta, por exemplo.

 

A contaminação pode ocorrer também com pessoas que possuem próteses articulares, por exemplo, uma vez que as bactérias podem contaminar esses objetos e atingir o osso.

 

A infecção pode surgir em qualquer parte do sistema ósseo, mas é mais comum nos ossos mais longos dos membros e na coluna vertebral.

 

Tipos de Osteomielite e seus principais sintomas

 

Dependendo do tempo de evolução da osteomielite, ela pode ser classificada em aguda ou crônica. É importante ressaltar que essa classificação não diz respeito à possibilidade de cura ou não, ela é determinada de acordo com o tempo de contaminação.

 

Osteomielite aguda: se refere à fase inicial da infecção, com menos um mês de contaminação, apresentando sintomas como a dor intensa na região, vermelhidão no local da infecção, inchaço, sensação de calor no área e febre.

 

Osteomielite crônica: é a infecção mais antiga, com mais de um mês de evolução e que pode durar até anos. Na fase crônica, os sintomas se apresentam de forma mais branda, fazendo com que o diagnóstico seja mais difícil. No entanto, alguns sintomas podem ser verificados, como dor persistente na área atingida e o surgimento de um furo na pele que começa a sair secreção (fístula).

 

Quem pode contrair a osteomielite?

 

A infecção óssea pode acometer qualquer pessoa, no entanto, existem alguns fatores de risco para a o surgimento da doença:

– Pessoas que passaram por cirurgias ortopédicas e que possuem implantes de próteses, parafusos ou outros materiais em contato com o osso;

– Pessoas que sofreram fraturas expostas;

-Indivíduos que possuem pé-diabético ou outras feridas crônicas;

– Obesidade;

– Tabagismo;

– Pacientes que possuem doenças reumatológicas;

– Pessoas com baixa imunidade, como portadores de HIV, por exemplo;

– Usuários de drogas intravenosas.

 

Como é feito o diagnóstico da osteomielite?

 

O diagnóstico precoce é muito importante, por isso, quando o paciente apresenta os primeiros sintomas, é fundamental que ele busque a orientação de um ortopedista para detectar e tratar a doença, evitando as complicações da infecção.

 

Para auxiliar no diagnóstico da osteomielite, alguns exames de imagem como a tomografia ou a ressonância magnética, podem auxiliar na detecção e na identificação da extensão da infecção. Também pode ser realizada a cintilografia óssea, que é indicada em casos onde o paciente apresente próteses e outros objetos que podem interferir nas imagens dos outros exames.

 

Além desses exames, o ortopedista pode solicitar a biópsia óssea, onde se retira um pequeno pedaço do osso para ser analisado em um microscópio, confirmando o diagnóstico da  doença.

 

Como é feito o tratamento da osteomielite?

 

Toda osteomielite, seja aguda ou crônica, pode ser curada. No entanto, é importante que o  tratamento seja feito o quanto antes para evitar as complicações da doença.

 

O tratamento pode ser feito de diferentes maneiras, de acordo com o tipo de osteomielite. Na fase aguda, o tratamento consiste no uso de antibióticos e, em alguns casos, cirurgia para remoção do tecido ósseo infectado.

 

Já na fase crônica, o tratamento é mais longo e complexo, sendo necessário a cirurgia e até mesmo a amputação do membro nos casos mais graves.

 

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a osteomielite, aproveite para conhecer outros conteúdos do nosso blog. , seus sintomas, diagnóstico e tratamentos. Boa Leitura!

 

Como surge a Osteomielite?

 

A Osteomielite se refere a uma infecção óssea desencadeada por fungos ou bactérias que podem afetar uma parte do corpo e se espalhar através da corrente sanguínea, atingindo o osso. Outra forma de contaminação é através da exposição do osso, como quando acontece um acidente com fratura exposta, por exemplo.

 

A contaminação pode ocorrer também com pessoas que possuem próteses articulares, por exemplo, uma vez que as bactérias podem contaminar esses objetos e atingir o osso.

 

A infecção pode surgir em qualquer parte do sistema ósseo, mas é mais comum nos ossos mais longos dos membros e na coluna vertebral.

 

Tipos de Osteomielite e seus principais sintomas

 

Dependendo do tempo de evolução da osteomielite, ela pode ser classificada em aguda ou crônica. É importante ressaltar que essa classificação não diz respeito à possibilidade de cura ou não, ela é determinada de acordo com o tempo de contaminação.

 

Osteomielite aguda: se refere à fase inicial da infecção, com menos um mês de contaminação, apresentando sintomas como a dor intensa na região, vermelhidão no local da infecção, inchaço, sensação de calor no área e febre.

 

Osteomielite crônica: é a infecção mais antiga, com mais de um mês de evolução e que pode durar até anos. Na fase crônica, os sintomas se apresentam de forma mais branda, fazendo com que o diagnóstico seja mais difícil. No entanto, alguns sintomas podem ser verificados, como dor persistente na área atingida e o surgimento de um furo na pele que começa a sair secreção (fístula).

 

Quem pode contrair a osteomielite?

 

A infecção óssea pode acometer qualquer pessoa, no entanto, existem alguns fatores de risco para a o surgimento da doença:

– Pessoas que passaram por cirurgias ortopédicas e que possuem implantes de próteses, parafusos ou outros materiais em contato com o osso;

– Pessoas que sofreram fraturas expostas;

-Indivíduos que possuem pé-diabético ou outras feridas crônicas;

– Obesidade;

– Tabagismo;

– Pacientes que possuem doenças reumatológicas;

– Pessoas com baixa imunidade, como portadores de HIV, por exemplo;

– Usuários de drogas intravenosas.

 

Como é feito o diagnóstico da osteomielite?

 

O diagnóstico precoce é muito importante, por isso, quando o paciente apresenta os primeiros sintomas, é fundamental que ele busque a orientação de um ortopedista para detectar e tratar a doença, evitando as complicações da infecção.

 

Para auxiliar no diagnóstico da osteomielite, alguns exames de imagem como a tomografia ou a ressonância magnética, podem auxiliar na detecção e na identificação da extensão da infecção. Também pode ser realizada a cintilografia óssea, que é indicada em casos onde o paciente apresente próteses e outros objetos que podem interferir nas imagens dos outros exames.

 

Além desses exames, o ortopedista pode solicitar a biópsia óssea, onde se retira um pequeno pedaço do osso para ser analisado em um microscópio, confirmando o diagnóstico da  doença.

 

Como é feito o tratamento da osteomielite?

 

Toda osteomielite, seja aguda ou crônica, pode ser curada. No entanto, é importante que o  tratamento seja feito o quanto antes para evitar as complicações da doença.

 

O tratamento pode ser feito de diferentes maneiras, de acordo com o tipo de osteomielite. Na fase aguda, o tratamento consiste no uso de antibióticos e, em alguns casos, cirurgia para remoção do tecido ósseo infectado.

 

Já na fase crônica, o tratamento é mais longo e complexo, sendo necessário a cirurgia e até mesmo a amputação do membro nos casos mais graves.

 

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a osteomielite, aproveite para conhecer outros conteúdos do nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×