Saiba mais sobre o pé torto

O pé torto é uma alteração que pode ser diagnosticada logo após o parto ou antes do nascimento. Os pés ficam virados para dentro e para baixo (equinovaro). Quando é causado apenas pelo posicionamento dentro do útero (pé torto congênito postural), tende a ser flexível e melhorar espontaneamente. Mas quando a deformidade é rígida (pé torto congênito idiopático), precisa de tratamento.

Não se sabe exatamente por que a condição ocorre, por isso se dá o nome de pé torto congênito (de nascimento) e idiopático (quando não se sabe a causa). No entanto, acredita-se que o pé torto congênito é também uma doença / deformidade do desenvolvimento (assim como a displasia do desenvolvimento do quadril e a escoliose), uma vez que ocorre apenas no segundo trimestre da gestação, por meio de uma possível ativação de genes “responsáveis” pela geração da deformidade. Alterações neurológicas também podem estar implicadas nas possíveis causas, além de fatores ambientais, que também podem estar relacionados.

A frequência da ocorrência dessa condição é de 1 caso para cada 1000 crianças caucasianas. Entre japoneses, a frequência é a metade e na raça negra ela é 3 vezes maior. Nos povos polinésios, encontra-se a mais alta frequência, 6 crianças para cada 1000 nascimentos. O pé torto congênito é 2 vezes mais comum no sexo masculino. Se numa família uma criança tem a deformidade, a probabilidade de nascer outro filho com a condição é muito maior (1 a cada 35 nascimentos).

A correção do pé torto é feita pelo ortopedista pediátrico através de imobilizações semanais com gesso para realinhar o pé de maneira gradual. De acordo com a gravidade, alguns pacientes podem precisar de cirurgia. O ideal é começar o tratamento ainda nas primeiras semanas de vida, pois o quanto antes iniciado, melhores são os resultados. Quando tratado adequadamente, a grande maioria dos pacientes leva uma vida normal. Após o nascimento e identificação do problema, é necessário procurar um ortopedista pediátrico para fazer o acompanhamento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×