Você sabe como preservar um membro amputado para garantir a eficácia de um reimplante?

A má conservação de membros amputados em acidentes podem comprometer fortemente o reimplante da parte amputada. Por isso, é importante ficar atento a algumas atitudes que podem salvar membros para garantir a eficácia do procedimento. Em primeiro lugar, é preciso considerar o estado geral da vítima – se ela sofreu algum trauma mais importante, o foco dos médicos deve ser em salvar a vida e evitar sequelas mais graves. A cirurgia para recolocar o membro amputado é longa e nem todo paciente tem condições de ser submetido ao procedimento. Outro aspecto importante é a maneira como ocorreu a amputação: os casos de arrancamentos são sempre mais complexos em relação a traumas lineares (corte por faça, guilhotina, etc)

Em casos de braços ou mãos amputados, o limite para aguardar até a cirurgia para reimplantação é de seis a oito. No entanto, quando se perde um dedo ou parte dele, a literatura médica relata reimplantes ocorridos até 24h após o trauma. Isso se as condições do paciente permitirem e se o membro for conservado adequadamente até a chegada ao hospital. O ideal é que o segmento amputado seja envolvido em um tecido limpo, acondicionado em um saco plástico. Este saco plástico acondicionado em outro saco com água e por último colocado em outro saco com pequena quantidade de gelo.

Atenção especial a parte amputada. Ela nunca deve ser colocada em contato direto com água ou gelo, para aumentar as chances de boas conduções para o reimplante. A cirurgia de reimplante é bastante delicada, realizada por profissionais capacitados. As cirurgias, dependendo da complexidade e do segmento corporal, podem durar varias horas.

Caso uma pessoa presencie uma amputação, o procedimento mais importante é socorrer a vítima, usando um pano ou algo parecido para fazer uma compressão forte no local a fim de conter a hemorragia. Geralmente as artérias cortadas entram em espasmo e param de sangrar depois de alguns minutos. Não tente lavar ou desinfetar a parte amputada, para não correr o risco de deteriorá-la ainda mais. A vítima e a parte amputada devem ser levadas o mais rápido possível para um grande hospital, se possível um centro que tenha um setor especializado em atendimento a trauma.

  1. ACHO QUE TODOS DEVERIAM SE INTERESSAR EM FAZER O SOCORRO APH.PARA SALVA VIDAS .HOJE DEPOIS QUE ME FORMEI EM UMA SOCORRISTA FOI A MINHA PRIMEIRA VEZ NÃO TRABALHO NA ÁREA DA SAÚDE TENHO VARIOS CURSOS E CONSEGUIR SOCORRER UMA PESSOA COM SUCESSO QUE FOI CORTADA SUA MÃO E APARECEU NA MINHA PORTA E FOI EMOCIONANTE EM PODER AJUDAR AO PRÓXIMO muito emocionante graças a Deus deu tudo certo ele passou por uma cirurgia e está bem

Deixe uma resposta para Elza Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×