Conheça a Doença de Paget do osso

A doença de Paget do osso é um transtorno crônico do esqueleto em que áreas de osso são submetidas à rotatividade anormal, resultando em áreas de osso expandido e amolecido.  A enfermidade pode afetar qualquer osso, mas os ossos mais comumente afetados são a pelve, o osso da coxa (fêmur), o crânio, a canela (tíbia), a coluna (vértebras), a clavícula e osso do braço (úmero). A doença de Paget, apesar de rara, ocorre com mais frequência em pessoas com mais de 40 anos. Nos Estados Unidos, cerca de 1% das pessoas com mais de 40 anos têm a doença e sua prevalência aumenta com a idade. Homens são 50% mais propensos do que mulheres a desenvolvê-la. A doença de Paget é mais comum na Europa (excluindo a Escandinávia), Austrália e Nova Zelândia.

Apesar de não ter causa conhecida, a doença é comum em famílias que possivelmente são portadoras de defeitos genéticos, mas isto não está completamente esclarecido. Além disso, muitas pessoas não apresentam sintomas mas quando ocorrem são de dor e deformidade óssea, artrite e compressão nervosa dolorosa. No caso do crânio, além de estar aumentado, ele pode provocar um aspecto proeminente das sobrancelhas e, causar dores de cabeça. O crescimento dos ossos do crânio também pode prejudicar o ouvido interno e, consequentemente, causar perda auditiva e tonteira. O diagnóstico inclui avaliação radiológica, exames de sangue dirigidos para o metabolismo ósseo, principalmente a dosagem da fosfatase alcalina.

Uma pessoa com a doença de Paget necessita de tratamento se os sintomas causarem desconforto, dor ou se houver risco significativo de complicações, como perda auditiva, osteoartrite e deformidade. A base do tratamento se houver dor, é o uso de bisfosfonatos (padrão ouro), analgésicos, anti-inflamatórios e fisioterapia na fase de atividade da doença. Eventualmente, correções cirúrgicas das deformidades.

Deixe uma resposta para Hermes Dagoberto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×