Por que o tendão de Aquiles se rompe?

O tendão de Aquiles, como é conhecido o tendão calcâneo, é o tendão mais forte do corpo humano, e é formado por fibras do músculo gastrocnêmio e do músculo sóleo, que é o tríceps sural ou panturrilha. Em atividades como saltos ou corridas de alta velocidade, chega a tolerar cargas de até 10 vezes o peso do corpo. Entretanto, mesmo uma estrutura tão forte pode se romper.

Isso acontece por uma associação de motivos. O tríceps sural é um músculo biarticular, ou seja, que atravessa duas articulações – o joelho e o tornozelo; essa característica anatômica por si só já aumenta o risco de lesões. Além disso, a degeneração do tendão, o encurtamento muscular e a sobrecarga pontual geralmente estão envolvidos na ocorrência da ruptura. Esta última acontece quando o tendão é esticado contra resistência (contração excêntrica) com o joelho esticado, como acontece em uma arrancada no futebol, por exemplo.

O sinal mais clássico da ruptura do tendão de Aquiles é o “sinal da pedrada”, pois o paciente acha que recebeu algum golpe no local no momento da lesão. Os sintomas são dor leve a moderada local, inchaço e dificuldade para deambular e incapacidade de ficar na ponta do pé.

O diagnóstico deve ser realizado o mais rápido possível, sempre por um profissional habilitado a indicar o melhor tratamento, que pode ser cirúrgico ou não, dependendo de cada caso.

Em geral, a melhor forma de prevenção é se manter dentro do peso ideal, trabalhar de maneira correta o alongamento e fortalecimento muscular e utilizar calçados adequados para cada tipo de atividade física. Se começar a sentir dores no tendão de Aquiles após as atividades físicas, isso pode ser um sinal de sobrecarga local, e um ortopedista especialista deve ser procurado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×